2. Informação não é conhecimento

O que você vê é o que tem? (em inglês: WYSIWYG: What you see is what you get?) – mas será que esta máxima é verdadeira para a informação obtida online? Você é uma pessoa que pensa criticamente? E de que modo está usando a informação da Internet no seu próprio trabalho?

2.1 Tempo para pensar de forma crítica

Todos achamos que nunca cairemos em um golpe ou fraude. Mas a verdade é que os golpistas estão cada vez mais espertos e nós não estamos necessariamente mais atentos. Quantas vezes recebemos um pop-up dizendo que fomos premiados ou que fomos especialmente selecionados para alguma coisa?

2.2 Kit de ferramentas confiável para um/a ciberjornalista

Os blogs se tornaram uma forma popular dos cidadãos comunicarem acontecimentos em tempo real. Estes espaços permitem, mesmo a crianças e jovens, influenciar a opinião pública. Agora pense no que um/a jornalista pode fazer online e o que não pode fazer offline. E no caso contrário – existem coisas que um/a jornalista pode fazer fora da Internet e que não seriam possíveis na Internet? (ex.: direitos autorais, controle da qualidade, divulgação...).

2.3 Pensar antes de publicar

O direito de expressar livremente as suas ideias e opiniões por meio do discurso oral, da escrita e de outras formas de comunicação, mas sem causar danos deliberados ao caráter e/ou reputação dos outros através de declarações falsas ou enganosas.